sábado, 1 de abril de 2017

CRUELDADE - Pássaro na gaiola não canta... lamenta


O pássaro tem um dos maiores Dons que Deus concedeu a um ser vivente: o Dom de voar...
E o ser humano, inconformado, o prende em uma gaiola apenas para observar seu sofrimento.
                                                                                                                                Lilian Rockenbach


Os pássaros são criaturas adaptadas a voar e explorar vastos espaços, diariamente. Eles necessitam do Sol e de muita luz, mas são trancados em gaiolas e mantidos em locais isolados, muitas vezes sem ter acesso ao Sol de que tanto precisam. É muito triste ver uma animal com o dom de voar, preso em uma gaiola, para satisfazer o desejo dos seres humanos. Realmente não há argumentos que justifiquem esta crueldade. Não há como justificar o injustificável, pois roubar de um ser vivo o direito de viver naturalmente, é pior do que matá-lo. Quem mantém pássaros em gaiola é tão cruel quanto quem comete atos de maus tratos contra qualquer outro animal.

Pássaros são seres condenados a prisão perpétua, numa solitária, sem nunca haverem cometido um crime! 

É tão essencial voar para os pássaros, quanto para os humanos se locomover. Essa é uma função essencial na vida deles e tirar-lhes este direito é como destruir sua vida. Um pássaro cantando numa gaiola é um espetáculo deprimente, somente uma criatura insensível consegue ver beleza nisso.

Infelizmente, a legislação brasileira proíbe a captura e a manutenção em cativeiro de pássaros da fauna silvestre, mas autoriza a criação e a comercialização de dezenas de espécies da fauna nativa, nascidas em cativeiro, e de espécies exóticas. Uma crueldade legal, que não se justifica moralmente!

Como não poderia deixar de ser, essa exploração cruel faz com que mais de 400 mil criadores lucrem com tamanho sofrimento, o comércio de aves silvestres movimenta R$ 2,7 bilhões por ano no Brasil. Os que mais padecem nesse jogo de insensibilidade, entre comprador e vendedor, são os pássaros cantores, que chegam a custar até R$ 200 mil. É o que nos informa a Revista Época Negócios, de 2011, que também evidencia o popular Curió, como o pássaro mais comercializado.

Os comerciantes de pássaros dizem que são movidos por amor, mas que tipo de amor é esse que aprisiona os seres amados e os submetem a uma vida extremamente sofrida, tolhendo completamente o seu direito à liberdade?

Há um sem número de formas de atrair e manter pássaros na vizinhança das moradias humanas, sem que seja necessário o ato cruel de privá-los da liberdade. É necessário manter as áreas com vegetação natural, ampliar os parques e a arborização nas cidades para que possamos desfrutar da beleza de vermos pássaros ao ar livre. 

Se você possui pássaros e entendeu, finalmente, que contribui para que uma vida indefesa e inocente seja cruelmente ceifada de seu direito fundamental, voar, procure os órgãos oficiais de sua cidade para que este animal seja colocado em liberdade da maneira correta, principalmente se ele for da fauna exótica (animais que não pertencem a fauna brasileira). Faça parte da Revolução Cultural e não tolere que nenhum animal sofra crueldade ou seja explorado.

A sociedade brasileira está doente, prioriza o dinheiro sobre qualquer coisa. Não faça parte disso.




Em 2015, a corte de Nova Deli, na Índia, decidiu que pássaros têm direito de viver com dignidade fora de gaiolas, voando livremente.

"Tenho clareza de que todos os pássaros no céu têm o direito fundamental de voar no céu e nenhum ser humano tem direito de detê-los em gaiolas, com fins comerciais ou quaisquer outros", afirmou o juiz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário